quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Red Bull... Quê?

De repente somos invadidos por uma febre aérea que mete nojo.
Anos sem se falar em nada e de repente todos percenbem de aviões e manobras...!
Pensando nas centenas de milhares de pessoas que vão invadir a cidade, só me ocorre um pensamento...
Cerca de 99,9% estará ali a apanhar um escaldão, e olhar para o céu e sem perceber a ponta de um corno do que ali se está a passar. Mas pronto, saem sempre fotos giras para o facebook!


! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! ! 

sábado, 26 de agosto de 2017

Stand up paddle

É certo que o ciclismo nos proporciona momentos e paisagens únicas. Mas o problema é que estaremos sempre sozinhos... Ou quase. Horas e horas a fio em cima de um selim, e por vezes encontramos algo que, numa manhã, nos deixa de alma cheia. E foi o que aconteceu hoje em Amarante. Fui experimentar o stand up paddle com um grupo de amigos. No início é o que imaginam, mas depois de entendermos a "mecânica da coisa", é um prazer enorme.
Mas se contente estava nesta pequena descoberta, de coração cheio fiquei quando, a muito custo, a Martinha lá decidiu aceitar o convite do pai e acompanhar-me nes nossa odisséia no Tâmega.
Acreditem... AMEI O MOMENTO.
E se fiquei contente ao vê-la ali comigo, orgulhoso então quando a vi Tâmega acima, montada numa prancha sozinha.
O tempo passa rápido, rápido demais se calhar.
Vamos aproveita-lo o mais que podermos!
A vocês os dois, Luli e Rui, agradeço do fundo do coração (que romântico) a excelente manhã que proporcionaram há família Frinxas. Adoramos a experiência e prometemos repetir sem dúvida!

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Anatomia do empenado


Já não me lembrava que tinha músculos na zona das canelas também.
Coisas do atletismo.

Por acaso não existe a versão half- São Silvestre?

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Objectivo... São Silvestre

O ciclismo é e sempre será um desporto solitário. Refiro-me a esta solidão na questão familiar claro.
Volta e meia pensamos nas horas que "perdemos" sem estar com "os nossos"! Os 40's aparecem e atrás deles veio um tal de Francisco. Resumindo, ficamos uns conas moles.
Sendo eu um "bicho do desporto", andei dias a fio a tentar conciliar uma coisa com a outra, o que nem sempre é facil. Um dia enquanto assistia na televisão a uma prova de atletismo, lembrei-me do tempo em que dei umas corridas... Ou caminhadas rápidas eu sei. De repente fez-se luz.
Falando com a minha herdeira mais nova, e propus-lhe o desafio de, até dezembro, darmos umas corridas e concretizarmos os dois a corrida de São Silvestre realizada aqui em Ermesinde. Para meu espanto, ela aceitou rapidamente. Se por um lado fiquei contente, por outro fiquei a pensar que aquela rápida resposta não seria para colmatar o "nosso tempo perdido". Confesso que esperava ter mais luta na resposta positiva.
Farto de ter constantemente a "cabeça a prémio" no meio dos pedais, acho que está na hora de relaxar um bocado até deixar a poeira assentar. Enquanto isso não acontece, vou-me armar em keniano com a Martinha. E esta hein?
Fica aqui, para memória futura, o registo na nossa "corrida" de hoje.
Daqui a 8 dias, se ela continuar com estes treinos de alto rendimento, volto a colocar algo de maneira que se vá vendo a nossa evolução.

Acharam estranho a Martinha aceitar algum desafio relacionado com um desporto que não a sua amada dança? Pois... Pasmem-se. Tivemos uma companhia de peso. A Joana, minha irmãzinha, decidiu finalmente começar a fazer algo a nível desportivo. Confesso que não a estou a ver a correr em algum evento, contudo vê-la nestas lides dá-me um certo gozo. Demorou um bocado (37 anos), se calhar um bocado demais até se lembrar que afinal isto faz falta, mas com o tempo "a coisa" lá vai.
Até lá....

! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! ! 

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Bike to work

É bom estar 1 mês e meio em casa, mas é melhor ainda, principalmente nos dias de hoje, que temos sempre um trabalho que espera por nós.
E assim foi, um mês e meio depois a finlandesa de volta ao meio do trânsito.
! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! !

terça-feira, 15 de agosto de 2017

HUM...

Chamam-lhes estratoféricos...
Chamam-lhes nucleares...
Dizem-lhes que são protour...
Enfim, todas as suspeitas do costume.
O que acho estranho não são as insinuações, mas feitas por alguém de direito e sempre sempre sempre sem usar nomes. É feio, muito feio. Apenas alimenta estes filmes.
Comparar alguém a um escalão muito acima jé e bom, mas sabendo o que fazem eles desde pequenos e sabendo o que fazem os nossos quando não estão a pedalar... É suspeito claro.
Teorias da conspiração ou não, eles lá vão ganhar mais uma Volta logo.
! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! !

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

DIOGO SÁ

Por vezes pomos em causa a Sua própria existência.
A vida é mesmo puta.

DESCANSA EM PAZ DIOGO

Mais um "viciado"...

Desde que trabalho naquela empresa, sou visto como o maluco ou alternativo só porque... Vou de bike para a empresa. Com o tempo as coisas, mentalidades e melhor ainda, os vícios vão mudando.
A continuar assim, não tarda teremos uma equipa em número suficiente para um escalão ProTour mesmo.
Desta vez foi o Cidade. A muito custo e indecisão, lá decidiu adquirir por meia dúzia de euros uma bike para começar a, segundo ele, praticar desporto.
A precisar de uma ou outra coisa, lá lhe fiz o favor de a mimar um bocado e deixa-la pronta a... Ficar parada na marquize!
 Por €49 deixados na PEDALAR BIKESHOP, teríamos o material sificiente para a deixar "top" e pronta a lixar-lhe aquelas pernas. Peça importantíssima para ele, era o conta-quilómetros, pois era uma maneira de ele provar o que estava a andar... UAU

 A idéia dele seria comprar algo melhor, mas ao mesmo tempo não sabia... E já sabia de novo... E voltava a não saber....! E pronto, entrei em acção.
"Olha lá pá, para quê que vais gastar tanto dinheiro para haver riscos de ficar parado? Compras uma cena mais barata primeiro, deixamo-la pronta e no futuro irás gastar uma pequena fortuna na próxima"!
Ele, assim como todos, riu-se. Dei de exemplo o Paulo. Motorista e alguém que, andando na estrada teria que detestar os ciclistas claro. Passaram-se os (poucos...) anos e o Paulo só já não adquiriu uma em carbono como até já foi a Fátima também. Curioso, certo?


 No meu entender a bike estava um pouco azul demais. Preferia um vermelho BENFICA claro, mas gostos não se discutem claro.
Sei que muito ao olharem para a foto irão pensar... "QUE PUTO DE GALHEIRO"!... E é verdade de facto. Mas uma coisa vos digo, conheço um tipo (Pedro Moço) que com uma exactamente igual, faz milhares de quilómetros por anos, e melhor ainda.... DIVERTE-SE COM AQUILO.
E esta, HEIN?!?


 Importante quando adquirimos uma bicicleta, seja ela de ferro, carbono, titânio ou lá o que for, é gostarmos dela e melhor de tudo, que a disfrutemos ao máximo dos máximos, certo? 
Não adianta começarmos com um FERRARI se ele depois vai ficar parado na garagem, e ficar a desvalorizar-se todo. A bike tem que ser adquirida consoante as nossas capacidades financeiras, e também mediante a nossa maneira de estar no ciclismo como desporto/lazer.


Resumindo... Um destes dias iremos ver aqui um novo "post" acerca do Cidade, todo contente, e já equipado com uma excelente máquina toda ela equipada com tudo aquilo que gostamos... Ou não.
Só o tempo o dirá. E até lá Fernando...

 ! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! !

domingo, 13 de agosto de 2017

Declaração de independência

Um destes dias, numa das famosas tertúlias de sábado cá em casa, debateu-se o tema das redes sociais. Depressa o tema foi para o tema das "redes sociais" desportivas claro.
A meio da prosa um deles diz que "daqui a pouco vamos cagar e levamos o Garmin pá cagadeira"!

 Rimo-nos, pois a pessoa em causa é das poucas que ainda faz questão de nem ter facebook, nem tão pouco algum aparelho de gps enquanto pedala.
Se aqui há uns meses larguei o STRAVA pelas razões que expliquei, lá fui continuando com o "velhinho" GARMIN.


 Mas uma coisa é certa, fiquei a pensar naquele sábado por uns dias, e esta semana, a muito custo, saí toda a semana de casa sem nenhum aparelho de navegação na bike.
Se para alguns parece estranho, e para outros parecerá impensável, acreditem que impensável é o que andamos a fazer estes últimos anos...


... Em que vivemos mais de números e cálcuos matemáticos do que realmente aquilo que deveríamos estar a fazer, que é nem mais nem menos do que conviver e claro, PEDALAR!
Sei que isto destas redes socais desportivas atingiu tamanho patamar da estupidez, muito por causa do STRAVA, mas confesso que está a ser um pouco demais já.
Bem, e dito isto...

! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! ! 

sábado, 12 de agosto de 2017

Etapa da Volta

Nestes 20 anos que me desloco até ao Monte parinha para ver o final da etapa da Volta a Portugal, nunca vi um ano em que as estradas estivessem tão desertas.
Dizem as "más línguas" que é melhor para a organização. Bem, acredito que seja, mas por essa ideia na próxima organizem no Velódromo de Sangalhos. Aí sim, ...!
Mas se no Monte Farinha estava deserto, o mesmo não se pode dizer da Sra da Assunção hoje...
 Estava ao rubro. As bicicletas eram ás dezenas desde o momento em que parti de Ermesinde até lá.
E se pela N105 fora o movimento era muito, na subida fazíamos fila, tal era o némero de ciclistas por ali acima, sempre com médias estonteantes.
 Não estava nos meus planos fazer aquilo, mas o meu amigo Queiroz fez questão de vir desde o Marco de Canaveses até cá a casa para me obrigar a lá ir. E como devem imaginar, com muito custo claro, lá peguei no Moço e lá fomos nós estrada fora.

 Foi uma tarde bem passada, bem quente e barulhenta. Que sirva de exemplo (já sei que eles cagam para isso...) á organização para uma etapa na Sra da Graça digna do local.
Assim o merece!
 ! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! !


Rui Sousa

Em alturas de despedidas, ontem foi tornado oficialmente mais um.
Rui Sousa deixou as bikes, onde andava desde 1998 como profissional.
Confesso que a mim pessoalmente só me começou a cativar nestes últimos 6 ou 7 anos, pois até lá imperava um pouco aquele "fervilhar do sangue há flor da pele", se calhar um pouco demais.

Não fosse a política e diria que estava aí mais um pretendente para os Granfondos!

! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! !

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Bomba nuclear

Se fosse no Tour e com o nome de SKY, os comentários seriam diferentes claro.
Aqui, neste país de futebol...
... São bons!
Acho que, ou eles são mesmo muito bons ou todos os outros não valem nada!
! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! !

Evolução do Moço

Já são vários os que constam na lista que vou conseguindo enganar durante a vida.
Este ainda há pouco tempo veio cá e quase morreu...
Neste dia só não foi como regressou.

Bem, um dia quando chegar "a minha vez", acho que isto pesará na balança das boa acções... Ou não?!?
Pronto, tem mais pelos nas pernas que lixo no monte de São Miguel o Anjo, mas não apertemos muito com o Pedro.
! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! ! 

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

ADEUS CONTADOR

Vitórias no Tour, Giro, Algarve, Vuelta e sei lá mais onde...
"A nossa melhor defesa será sempre o ataque."...
Amado por muitos e odiado por outos...
34 anos...
ANUNCIA O FIM DA CARREIRA
Muitos sabugos roí ao vê-lo trepar serras acima...

domingo, 4 de junho de 2017

Desafio das torres

A ideia surgiu da (tola...) cabeça de um amigo.
Sair da Torre dos Clérigos e ir até Lisboa visitar a sua irmá Torre de Belém. Como isso não fosse suficiente, decidiu pelo meio passar por Fátima.
Enfim... Ideias malucas.
Mas começou por uma ideia maluca até terminar... Na estrada. E assim foi, ontem lá fomo nós estrada fora.
Entre sandes de presunto, médias altíssimas, vento e algum frio, lá chegamos a Fátima. Para registar esse momento de um dia gigante, nada melhor que tirar uma foto com um monumento também ele gigante. Quase mesmo do tamanho da artista que o idealizou. O cansaço e a fome começava-se a fazer sentir, mas decidimos sair dali e almoçar amgo mais adiante. E assim foi, pois na passagem por Porto de Mós demos com uma pizzaria que de tão má que era, obrigou-nos a fazer quase meia tarde de pausa para o bendito repasto.
10 pizzas e 18 garrafas de coca-cola depois lá decidimos fazer-nos ao alcatrão mais uma vez.
Os quilómetros para o final iam-se aproximando, o cansaço aumentando e claro, as decisões mal tomadas por causa do cansaço iam sendo tomadas. Por vezes não damos conta das partidas que o nosso cérebro nos provoca e é preciso dar o famoso "murro na mesa" para acalmar as hostilidades. Coisa normal para quem já está a pedalar há cerca de 12h. Mesmo assim foi um dia excelente, e daqueles em que me diverti na bicicleta.
Mais um objectivo na caderneta e no CV.

 Qual será o próximo? Apesar de ideias não faltarem, agora quero repousar e pegar no Francisco (e mãe claro... ) ao colo e acalmar um pouco estes "nervos ciclísticos.

! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! ! 

domingo, 28 de maio de 2017

Grande prémio JN

Era vê-la ali cheia de ciúmes daquelas coisas de plástico, tão leves e cheias de energia!
Grande Prémio JN...
...Como passa o tempo.

Alqueva 400... A desilusão

As espectativas eram enormes, e o ânimo de tal forma que na véspera, ao deslocar-me de comboio para o ponto inicial, decidi sair no Entroncamento e ir a pedalar até Vila Franca de Xira com o intuito de me "preparar" mais um bocado para um futuro 600.
Estar com a malta mais uma vez foi reconfortante, e aqui dá para entender um pouco este pequeno grupo, pois começam-se a formar amizades. Apesar da frieza normal de verem um estranho a chegar lá a pedalar, as conversas foram fluindo, carimbos feitos, e siga para a estrada sem antes cantarmos os parabéns a um nosso amigalhaço da terra do cabrito!
Estrada fora e, para meu grande espanto, estavam-se a fazer médias na casa dos 32km/h, coisa completamente anormal para aquilo que tenho visto no meio daquela "seita"! Antes de Pegões... Pumba! Uma lomba mal anunciada por quem seguia na frente e a minha mudança lembrou-se de me dar que fazer. Apesar de normalmente me fazer deslocar com uma autântica ofocona atrás de mim, não foi o suficiente para resolver este problema. Ainda consegui chegar a Pegões, mas novamente deu trabalho e tive que a "matar" e ficar apenas com o pedaleiro 34.
Bem, já devem imaginar que fazer 350kms totalmente planos com esta relação iria ser tudo menos agradável... DESITI!!!
Já me esquecia de sentir tamanha desilusão. Ainda me lembrei de acompanhar a Lenita, um pouco mais "lenta", mas ao cruzar por eles, e a muito custo, decidi apenas cumprimentar e seguir o meu caminho até ao ponto de partida.

Sabia que iria chegar a Vila Franca bem mais cedo que a partida do comboio, decidi encostar-me duas horas numa paragem de autocarro e "nanar" um bocado. E assim foi. 
Informar a organização do sucedido e siga para casa, novamente de comboio e com uma desilusão enorme em mente. Apesar de ser dos que não se deixa muito afectar por estes pequenos pormenores, confesso que desta vez fiquei bastante desanimado. Mas pronto, a bicicleta apesar de pertencer a ela, não é a minha vida, e resta-me apenas esperar por um próximo passeio, seja ele com desilusão ou não.
Até breve(t) e já sabem...


! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! ! 

sexta-feira, 26 de maio de 2017

E esta ... Hein?!?

Dois gajos que adoram bikes. Um tal de Andrew Macdonald e um outro tal de seu nome Simon Taylor...
 Estes dois meninos para além de gostarem de bikes de aço 631 da Reynolds, gostam também de descansar no deu conforto...
Adoram soldaduras, e também o couro da Brooks.
Aqui á uns anos não tinham nada para fazer e lembraram-se de contruir esta cadeira...
Meia dúzia de tubos e quatro pingos de solda depois nasceu a dita...

Preço a rondar os €7000. Caso estejam interessados digam-me!

! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! !

Alqueva 400


Por vezes pergunto a mim mesmo porque raio me meto nestas coisas com uma bike/cvarga de 16kg, quando tenho outra que pesa metade!!!
A idade traz-nos destas coisas. Mas já diz a minha mãe que... "Quanto mais velho, mais burro estás a ficar caralho"!
E começo-lhe a dar razão.
Depois digo como foi.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Dynamo Hub... Essa maravilha

Bem, ainda vai com cerca de 1000km na minha roda, portanto pouco poderei falar acerca do mesmo senão no seu lado SUPER PRÁTICO.
Mas hoje descobri isto, e realmente algumas das muitas perguntas ficam com resposta.

Uma boa leitura para os mais sépticos.

! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! ! 

sábado, 13 de maio de 2017

COISA BONITA - 1

Hoje fui pedalar com o "sénior". Ao despedir-me dele disse que a volta foi calma, mas acho que errei. Errei porque, perto de casa pensei ver uma senhora na ternura dos seus 70 anos a pedalar.

Ou estava empenado mesmo ou então as pessoas estão a mudar com o tempo.

! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! ! 

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Dínamo... Essa moderna maravilha

Todos nós que pedalamos, de certeza que me algum ponto da nossa vida ciclística já ouvimos falar em dínamos, certo?
Rezam os entendidos que ele nasceu das mãos de um francês em 1836.
Pelo que vemos na imagem abaixo...
 ... O dito francês não tinha uma noção perfeita de beleza. Contudo essa pequena maravilha nasceu.
Passaram-se os anos e, em meados de 2015 ou 2016 estava eu a caminho de casa quando me aproximo de um maluquinho a pedalar a horas indecentes. Meti conversa pois queria saber que raio de lanterna era aquela que me chamou a atenção. Não pela potência mas sim pelo "espalhamento" da mesma, pois vi toda a estrada iluminada na sua frente.
Conversa daqui e dali e ele começa a falar em dínamo. Eu ia olhando para a bike dele, e via de tudo lá excepto esse dito dínamo. Para não fazer figura de urso fui rodeando até que.... O QUÊ? UM CUBO/DÍNAMO?
Meus amigos e e-amigos, quase 30 anos a pedalar e escuto que já inventaram cubos/dínamos. Pior ainda, já andava com aquilo há cerca de 4 anos. Comecei a pesquisar e a pensar seriamente em adquirir tal maravilha da electrónica. Mas ao olhar para aquele tipo, ele tinha cara de tudo excepto de quem andava de bike debaixo de chuva. E não queria estar a comprar algo sem antes fazer uma coisa que adoro... Apalpar. Uma coisa é andar esporadicamente, outra é diariamente no meu caso, e por vezes esse "diariamente" engloba frio, geada, neve e chuva. E apanhar um choque nos tomates era tudo o que menos quereria.
Há cerca de dois meses fui visitar a INBICLA, e pela primeira vez o Vitor deixou-me colocar uma coisa daquelas nas mãos. Imaginava algo maior e grosseirão, mas de facto a tecnologia fez com que "esmagassem" o espaço daqueles ímans todos.
Muitos pensarão no peso daquilo...! Sim, é mais pesado que um cubo normal mas acreditem que, como podem ver na imagem, o Vitor soube argumentar muito bem acerca desse tema...!
E lá me decidi meus amigos.
Montei aquilo e depois de o ter feito a primeira coisa que senti foi arrependimento. Arrependimento por não ter feito aquilo mais cedo! É mesmo muito cómodo, prático e acreditem...Dá luz com fartura.
Numa bike "normal" acredito que seja necessária mais ginástica para fazer passarem aqueles cabos, mas numa finlandesa como a minha isso não é problema.
Em andamento passa quase despercebido e nem se sente algum tipo de "prisão" no cubo!

 Mas as novidades não ficam por aqui. Não foi o caso da minha, mas há lanternas que já vêem equipadas com ligação USB. Para quê? Fácil... Dá jeito para carregar GPS, telemóveis e tudo mais o que entenderem. Claro que para alguns isso nada diz, mas quem anda no meio daquela seita dos barbudos e nas longas distâncias, acreditem que sim, faz mesmo muito jeito!!!
Não adquiri nada de "topo de gama", mas com cerca de €250 já conseguem colocar o dínamo, lanternas (dianteira e traseira), raios novos e com sorte ainda pagam um café ao mecânico.
Para quem, assim como eu, faz uso diário da bicicleta, é um "brinquedo" mesmo muito útil. Não apanhamos os sustos normais da falta de bateria ou ficam com um track a meio por falta de bateria.
VALE A PENA

E este fim de semana por terras do BAIXO MINHO E BARROSO pude comprovar que não fica bem apenas em bikes de meia tonelada como a minha. Desde bikes de alumínio, carbono e titânio, quase todas elas estavam equipadas com esta tão "moderna" (para mim) maravilha. O único senão é que os quadros na sua maioria não fram feitos a pensar em cabos, mas acreditem que com paciência aquilo passa praticamente despercebido.
Eu sei que a imagem está um pouco distante, mas aqui podem ver a minha gaja com tudo montado... Cubo, cabos e as lanternas traseira e dianteira.
! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! !

IUC - Imposto Único de Circulação

Muitas vezes se dicute o tema das bicicletas, dos vermelhos, do seguro obrigatório e claro, que também deveriam pagar o famoso IUC. Se a ignorância pagasse imposto, aí sim, nem precisaríamos de taxar os 23% do IVA. Para os menos atentos (e sei que alguns gostam de ler isto), este tão famigerado IUC é calculado em função da quantidade de "merdas" que deitamos para o ar. Ora, como tão bem sabem, há excepção de umas peidolas quando bebo um recuperador, não deito mais nada para o ar. Mesmo assim ainda houvem quem perdesse tempo para calcular uma suposta taxa para a malta. E acreditem que, se ela me permitisse andar a meter nojo pela estrada fora, até pagaria €10. Mas mesmo assim não seria suficiente para alguns.
E depois desta imagem que podem ver abaixo...

... Não me venham f*der a cabeça com essa treta das bikes pagarem esse imposto, ok?

! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! !

domingo, 7 de maio de 2017

Por terras de brevet's

Comecei a pensar no que escrever, mas decidi-me pala "escrita ao desafio". O empeno de ontem ainda não me permite o esforço de pensar.
Comecemos pelo início... Aconteceu uma explosão e formam-se umas bolas que deram o nome de planetas. Entretanto uns bichos grandes e maus que, não se sabendo a causa, morreram todos. Uns anos mais tarde aparece um tal de Adão e a sua bela amiga Eva. Segundo a lenda ele f*deram tudo quando trincaram uma maçã. Passam-se os anos e eu, assim como ela, também f*di tudo quando aconteceu isto. E ontem (finalmente) lá fui eu experimentar as pedaladas com aquela malta.
Umas semanas antes, um daqueles "barbudos alternativos" contava-me que, numa das suas aventuras por essas estradas fora, pararam cerca de 30 minutos para dormir. 30 minutos para dormir??? Se para dormir eles param assim "tanto tempo", estou tramado. Confesso que fiquei com estes "30 minutos" em mente durante estas semanas.
Chega o dia e lá fui eu com a minha fiel companheira de meia tonelada de peso para junto deles.
Comecei por andar ás apalpadelas e olhar para a minha volta, e entendi logo a mecânica da "coisa"! Eles não param para dormir, mas acreditem que para comer são merecedores de entrada directa em escalão pro-tour!
Adorei o estilo "low-profile" deles, estão-se literalmente a cagar para tudo e todos excepto na chegada da hora do almoço e no cumprimento dos horários. Os quilómetros vão passando, as conversas animando e cada vez mais próximos da hora de almoço o meu primeiro choque...! Como tinha em mente a famosa meia hora de sono e a imagem de um deles a comer um iogurte de colher antes da partida, nunca imaginei que tal "seita" se fosse dar ao luxo de parar para comer meio boi com belas verduras e melhor sopa. Fiquei completamente arrependido dos quase 3 frangos e meio de churrasco e chouriças para assar (calma, é tanga) que levava na bagageira.
Aproveitei a paragem deles (e a minha ainda falta de fome) para fazer uma coisa que, quem me conhece sabe que adoro fazer... Pedalar a solo!!! E lá fui eu, alcatrão fora. Sabia que a partir dali as paisagens iriam ser soberbas pois há uns meses atrás por lá tinha passado e amei a zona. 

 O cansaço faz-se sentir, e claro por culpa minha eu sei, pois sozinho as dores nas pernas dão mais nas vistas. Curiosamente neste tipo de "eventos" algo nos liberta desses pensamentos dolorosos quando procuramos o local onde vamos encher a famosa "caderneta" com os carimbos, distraímo-nos do resto. A juntar a isto mais umas paragens para comer, procurar pilhas á venda porque duas das que levava se lembraram de "morrer" (entendi logo o mail do Pedro acerca dos perdidos) e mais uma avaria na bike, o tempo e os quilómetros foram passando até que lá cheguei ao final daquela odisséia randonneur.
Se gostei? Sim... Adorei. Se vou repetir? Talvez. Aqui as inscrições esgotam mais rápido que as inscrições para a BOX A dos granfondos do Zeferino pá. Mas se for a tempo para tal, terei todo o gosto em repetir.
Para terminar, e em forma de registo pois volta e meia gosto de recordar o que escrevo, um abraço para todos aqueles que conheci pessoalmente pela primeira vez e pasmem-se, um deles perdia tempo no passado a ler estes meus devaneios. Mas para alguém que faz 300km de sandálias tudo é possível. Amei olhar para aquelas bikes que de bonitas nada tinham (algumas claro), mas de prático eram algo soberbo.
E aqui fica o "boneco" da minha brincadeira de ontem...


Caso tenha oportunidade... Até breve(t) meus amigos.

! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! ! 

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Tom Boonen

- E agora o que vai fazer?
- Agora? Vou procurar o meu carro.

E assim termina a carreira um dos melhores ciclistas dos últimos anos, e que muitos sabugos me fez roer em frente da televisão.
! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! ! 

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Serei algum monstro?

"Eu não treino, eu pedalo..."
"Olha que ando devagar..."
"Pedalo para me divertir..."
"Não tenho as tuas pernas..."
. . .
Muitas vezes me faço convidado, e normalmente escuto várias respostas, mas todas de encontro ao mesmo significado.
Começo a olhar para o espelho e ver se vejo alguém com 3 braços e 5 pernas.

 Será que sou assim tão bom (ou mau?), ou a malta anda mesmo tola?

! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! !


sexta-feira, 31 de março de 2017

Tempos de mudança

Os meus planos era ser bem mais activo nesta nova "seita", mas entre o nascimento do Francisco e as indecisões típicas de uma mudança, foi-se adiando dia após dia... Até hoje.
Entre tertúlias, reuniões, conversas e comentários, houve um que realmente me marcou...
Na realidade os brevets não são mais do que saidas com um grupo de amigos em que vamos para longe, só que somos obrigados a levar coletes e luzes.
Fiquei a olhar para aquilo e decidi de vez experimentar.


Para muitos será um filme na minha cabeça, mas acreditem que para mim será se calhar o assumir oficialmente que estou velho.

! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! ! 

terça-feira, 21 de março de 2017

STRAVA

As mudanças vão surgindo... Devagar.
Um destes dias numa das minhas tão "famosas" tertúlias de sábado á noite discutiu-se o tema. Já o tinha "ameaçado", mas desta vez tive tempo e terminei com aquilo. Foi um programa que adorei de facto, e em certa forma até nos motiva, mas quando vejo "amigos" meus a colocarem a minha cabeça a prémio apenas por causa de um aparelho gps e um programa de computador... CHEGA.
Que a malta anda tola eu sei, agora tanto também não.

Muitas vezes disse e escrevi que o "problema" não é sairmos da cama ás 3h da manhã para pedalar 400km, mas sim publicarmos o que fazemos. Assim continuarei a ser tolo mas apenas para um grupo restrito... De tolos também.

! ! ! . . . BOAS PEDALADAS . . . ! ! !